lunes, noviembre 02, 2015

L'email que chegóu de Llión

Deíxuvos un poema qu'escribiera en pertués y en llïonés (cun un piquennu sofitu de la mía parte) el mieu collaciu António Fonseca asina cumu unas semeyas rellaicionadas cul poema. Asperu que vos preste y nun tengu dulbias que cun un piquennu esfuerciu tol mundu podrá pescanciare tantu'l pertués cumu'l llïonés:

Pertués

Não tenho sono nesta noite calma,
Nem sei o porquê do que me vai na alma.
Lá fora na Mata, não faz qualquer vento,
Onde o velho cedro dorme ao relento.

Não sei o porquê desta grande insónia,
Consigo ver tudo até à Polónia!
Terá sido o “email” que chegou de Leão?
Talvez seja disso, ou então talvez não.

Dois quadros são a minha companhia,
Pr'a eles olho à espera do dia.
No quadro de cima há cinco lavadeiras,
Estendem a roupa sem grandes canseiras.

O areal é muito e o rio é pouco,
Na margem direita pode ver-se um choupo.
O céu é azul e está a dizer que é verão,
É o que ameniza tão grande serão.

Otras llavadeiras, llá en baixo son Lusas,
Mas siempre que llavan nem todas son cuzas.
Uma vai para a água sem conversar,
As outras parecem que estão a rezar.

A noite lá fora continua calma,
Mas já menos coisas me vão na alma.
Parece que o sono já chega, então,
Terá sido o “email” que chegou de Leão.


O velho cedro / El vieyu cedru

Llïonés

Nun tengu suannu nesta nueite calma,
Nin sei el purquéi de lu que me va nel alma.
Eillí fuora na Mata, nun faz cualisquier vientu,
Onde'l vieyu cedru duerme al relentu.

Nun sei el purquéi desti gran insoniu,
Cunsigu ver tou ata la Polonna!
Tendrá siu l'email que chegou de Llión?
Tal vez seya d'esu, tamanna aflición.

Dous cuadros son na mia companna,
Pur eillos gueyu tola Hespanna.
Nel cuadru d'enriba hai cincu llavadeiras,
Estienden la roupa ensín grandes canseiras.

L'arenal ye muito y el riu ye poucu,
Na marxe dreita puode vese un choupu.
El cielu ye azul y tá a dicir que ye branu,
Mas eiquí nel cuartu faz un friu serranu.

Outras llavadeiras, eillí embaixu son Lusas,
En vuelta de llavare, son toas mui cuzas,
Una va pal auga ensín cunversare,
Las outras paece que tán a rezare.

La nueite eillí fuora sigi cun calma,
Mas yá menos cousas me van nel alma.
Yá el suannu embota la mia visión,
Tendrá síu l'email que chegou de Llión

No hay comentarios: